sexta-feira, 6 de abril de 2012

XII – A Aposta


Léo voltou para Desiderata no dia seguinte, e a última imagem que vislumbrei de seu rosto havia ficado gravada na minha retina. “Não venha mais.” Foi a frase mais difícil que já pronunciei em toda a minha vida. Ecoava no meu cérebro, corria por meus neurônios e alfinetava minhas entranhas. “Não venha, Léo. Não posso suportar a ideia de ser causador dessa agonia, menos ainda de me tornar o responsável pela sua infelicidade.” Não era novidade que eu soubesse não estar sendo fácil para ela lidar com a nossa situação. Mas ouvi-la clamar por ajuda me consternou sobremaneira. 




Precisávamos aceitar que há coisas que não podem ser e tomar aquela decisão não foi menos sacrificante para mim. Por conta disso, levei Ariel de volta para a casa de sua mãe um pouco antes do início das aulas. A ausência da baixinha não melhorou minha rotina em nada, no entanto não seria justo dividir meu desânimo com ela. De qualquer forma, eu continuava a visitá-la constantemente.




Falando em visitas, as de Nina tornaram-se mais frequentes. E posso afirmar sem medo de exagero ser sua presença sempre tão alegre a não me deixar sucumbir. Era o início uma deliciosa amizade que trouxe com ela uma atração latente, e cada vez mais intensa. Seria ótimo investir naquela relação se... ela não tivesse que partir. Sentia que a mesma aflição a espreitava, embora Nina se esforçasse em disfarçar.




Pensei estarmos levando bem aquela situação até ali. Mas então ela sumiu por alguns dias, e quando entrou em contato novamente, encontrei melancolia em sua voz ao telefone, ainda que não pudesse ver seu rosto para ter certeza de que algo parecia estar fora de lugar.
– Pode vir aqui? – pediu.




Atendi seu pedido e fui até a casa de Trevor encontrá-lá. Toquei o interfone que ela mesma atendeu. Subi as escadas ainda intrigado, encontrei a porta da sala aberta e entrei. Nina estava virada de costas para a entrada, apoiada no braço do sofá e mantinha o rosto voltado para o chão. A cena me fez perceber que estávamos sozinhos. Aquela conversa seria muito particular.




– Nina? Está tudo bem?
Ela se virou. Seus olhos possuíam um brilho triste e um leve rubor de quem havia chorado.
– Não muito... 
– Eu posso ajudar?
– Eu não sei ao certo, mas foi por isso que chamei você aqui...




– Então? – Perguntei apenas para ter certeza. No fundo eu tinha uma ideia do que estava por vir.
– Yuri, sabe, eu sempre fui leal na minha vida. Tanto aos meus princípios, quanto aos meus amigos. Acontece que não tenho agido com lealdade esses últimos dias, nem comigo, nem com você.
– Ah, Nina...




– Deixa eu terminar... – ela suspirou e eu me calei. – Eu me apaixonei, Yuri. Bem previsível não é? Quer dizer, as mulheres devem te falar isso o tempo o todo, é tão fácil se apaixonar por você!
Eu sorri justamente por discordar. Ela continuou. – Venho tentando sufocar isso dentro de mim desde que me dei conta, mas... vejo como você me olha, como fala comigo, e quando você me toca, eu... perco o chão. Não é justo que eu tenha que matar o meu sentimento, apenas por medo de uma irremediável separação, é?




– Não, não é, Nina... Mas só você pode saber se é capaz de passar por isso sem se machucar...
– E você? Não tem medo? Ou eu me enganei? – Ela mirou meus olhos buscando uma resposta não pronunciada. – Oh, meu Deus, eu me enganei! – deu um passo atrás e levou a mão à boca, chocada consigo mesma. – Desculpe! Você é só um cara gentil e educado, onde eu estava com a cabeça?! Me desculpe!




Eu a puxei e a abracei.
– Ei, espera! Calma... Você é incrível, Nina. É amável, inteligente, criativa, divertida... Uma mulher belíssima... Seus sentidos não te traíram de forma alguma... Eu me sinto muito atraído por você, e se não me permiti ir além de onde estamos, foi justamente por temer o mesmo que você.




Temia, de fato. Porém, mais por causa dela. Eu já estava calejado. Uma dor a mais ou a menos não faria diferença, mas Nina parecia tão frágil! Ela levantou o rosto para me encarar e havia uma lágrima perdida que escorreu pelas maçãs sardentas daquele rosto delicado e morreu no canto de sua boca.
– Eu acho estou disposta a pagar o preço... – conclui decida, por fim. – Não quero voltar para Paris com a sensação de que perdi sem ter apostado.




Segurei seu queixo e levei meu rosto até o dela, deslizando meus lábios sobre sua boca. Nina suspirou novamente e se afastou apenas o suficiente para me encarar com os olhos ainda marejados. Então voltou a se aproximar e me beijou com veemência. Seus lábios de cetim em harmonia com sua língua de sabor frutado desenharam uma coreografia deliciosa que dançou em minha boca e me inundou de desejo.




Quem me conhece sabe que eu raramente ajo de impulso. Portanto, foi quase um choque me encontrar completamente exaurido e nu no chão da sala de estar do meu melhor amigo, enroscado ao corpo quente e trêmulo de sua prima. O único som audível vinha de nossa respiração ofegante.




Permanecemos assim por longos minutos, agora Nina brincava na minha barriga, desenhando círculos com seus dedos que me faziam sentir cócegas.
– Qual o problema das mulheres daqui? Quero dizer... É inconcebível que um cara como você esteja sozinho!
– O problema não está nelas, acredite...




– Pare de me assustar! Você não é gay, é? Aquele tipo que não tem coragem de assumir e vez ou outra aparece acompanhado? – perguntou com a intimidade de amigos de longa data. 
– Não... – achei graça em sua espontaneidade, mas respondi com seriedade, uma vez que precisava ser sincero. – Eu nunca me sinto completamente envolvido em uma relação. Sempre acho que estou usando a mulher ao meu lado e acabo... pulando fora.




– Ah... – murmurou e virou-se para o outro lado.
Por aquela reação era óbvio que Nina não esperava ouvir nada parecido.
– Decepcionada?
– Não. Curiosa, mas ao mesmo tempo... com medo de perguntar...
– Eu não mentiria pra você.
– Eu sei... E talvez seja esse o motivo do meu medo. Depois... Se eu estiver preparada. Por hora... que tal comermos alguma coisa?




Perguntei se ela gostaria de sair para jantar. Nina me beijou, mas declinou alegando que havia muita comida na geladeira e aquilo tudo acabaria indo pro lixo, uma vez que Trevor mal parava em casa. Concluiu afirmando categoricamente que prepararia o melhor assado que eu comeria em minha vida.




Ela não fez questão nenhuma de vestir qualquer peça de roupa enquanto preparava a comida. Apreciar sua beleza em movimento na cozinha me deixou excitado novamente e precisei me esforçar para não atrapalhá-la em sua tarefa. Eu tinha certeza que Nina percebia minha admiração, pelo seu semblante divertido.




– E então, o que achou? – perguntou quando terminamos de comer. Ela havia se coberto com uma peça de lingerie para sentar-se à mesa e eu não conseguia concluir de qual jeito a achava mais bonita.
– É bom... – respondi fingindo indiferença. Sem sombra de dúvidas, foi o melhor assado que eu já havia provado, mas fiquei tentado em provocá-la.




– Bom?! – exclamou contrariada, ainda que consciente da minha mentira. – Você vai ver o que é bom!
Ela pegou um punhado do que havia sobrado em seu prato e atirou em mim, como uma criança desejosa de fazer bagunça. Eu revidei e ficamos completamente emporcalhados de resto de comida.




Eu me aproximei e puxei-a em um abraço.
– Nunca vou conseguir tirar todos esses champignons do meu cabelo... – resmungou chorosa...
– Foi você quem começou... – e a beijei.




Tomamos banho juntos e fizemos amor novamente debaixo da forte ducha de água quente do chuveiro. 
– Você precisa voltar pra casa hoje? – era mais um pedido do que uma pergunta e pela primeira vez em muito tempo, eu não tive saudades da minha cama.
– Nã-hã...





29 comentários:

  1. Uau!!! Adorei! Realmente, a vida é uma festa e a gente tá aqui prá ser feliz...
    bjs, Alice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yuri precisava pelo menos tentar, né, Alice? ;P Obrigada! =]

      Bjks!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Total concordo! *¬* Haushaushuahs!

      Bjks!

      Excluir
  3. OmG, nem sei o que comentar nessa atuh. Chocada pelo Yuri ter finalmente criado coragem de pedir pra Léo se afastar, mesmo que mais por ela que por ele mesmo, e feliz por ele e a Nina terem resolvido dar uma chance a esse sentimento que está surgindo.
    Amei! *--*
    Boa páscoa, Paulinha. Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, ele teve e falou... Mas isso vai adiantar?
      Acho que o tratamento "Nina" é mais eficaz, mas apenas pra ele né? Ou não...

      Boa páscoa pra você também queridona!

      Bjks!

      Excluir
    2. Ah, Paulinha, agora esse seu coment me deixou preocupada... Esse clima feliz não pode durar por muito tempo não? Não, né... Senão não teria história. Pelo menos não uma sua, malvada! Tô brincando, kkk.
      A Léo tem o Pedro pra consolar ela, deixa ele lá... Mas realmente quando os dois voltarem para Belladonna vai ficar meio complicado. Tô aqui imaginando o que a baixinha vai fazer pra reaproximar os dois. Será que a Nina também ainda vai ficar lá por muito tempo?
      Enfim, muitos questionamentos como sempre, mas foi ótimo aproveitar o feriadão com uma atuh tranquila como essa e vendo o Yuri feliz. :)
      Beijo, tô esperando você me mandar um ovo de páscoa, hahaha.

      Excluir
    3. Hehehe, é o que falei pra Lu outro dia... Se fosse simplesmente uma questão de distanciar os dois pro problema ser resolvido, nem por que escrever, teria? XD
      Eu não comprei ovo, mas estava louca pra ver sua cara vendo o que te trouxe de Orlando! Acho que vou mandar pelo correio com a condição de você filmar sua cara na hora de abrir. É uma besteira bem besteirosa mesmo, mas acho que você vai amar! Hahahaha =P

      Bjks!

      Excluir
  4. Até que enfim esse loiro tomou uma atitude, mas e a Léo coitadinha? Como será que ela esta? (nosbraçosdoPedrotalvez ;p)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso com certeza seria o que EU faria, Beck! Hehehehehee

      Bjks!

      Excluir
    2. Eh né... eu também faria concerteza Pah =D
      Já que tomou um fora do Yuri, vamos pros braços do Pedro kkkk

      Bjos ;*

      Excluir
  5. "– Pare de me assustar! Você não é gay, é? Aquele tipo que não tem coragem de assumir e vez ou outra aparece acompanhado? "

    HDUSAUASIDHASIUHASIUDHIUH MORRI nessa parte. Ai, essa foi uma das atualizações mais legais até agora. As fotos, a Nina... Ok, agora posso dizer que gosto dela, parece BEM sincera e espero que seja mesmo, se ela decepcionar o Yuri... Vish pra ela. u_u9
    Estou bem chocada por ele ter pedido a Leo para se afastar, isso é bom pra ele, mas na hora eu fiquei um pouco tensa, depois vi o sorriso dele ali na mesa e pronto u_u AHUIAHUIAH (estou ficando envolvida demais com isso? Sim ou claro? Culpa sua, Pah!)

    Feliz Páscoa pra você, querida <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehe, Alice, pois é, pelo menos eu vejo que ele está tentando, quando surge uma oportunidade. Uma pena não termos controle absoluto sobre os nossos sentimentos e emoções. Bem, seria mais fácil, mas talvez muito mais chato também, será? XD
      Eu acho que ela é do bem, e torço mesmo para que dê certo, e talvez vendo o Yuri feliz a Léo também se conforme com isso.. Será? =P

      Obrigada, flor! Pra você também!

      Bjks!

      Excluir
  6. Nossa adorei! Yuri e Nina realmente formam um ótimo par. Mas ainda fico divida com a Leo e o Yuri, eles tbm são tão fofos! Ai Pah assim vc me mata SHUAIHSIA

    Beijos! Feliz Páscoa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehehe, Eu também to toda partida, =P
      Bjks, pra vc também, queridona!

      Excluir
  7. Cara, isso é que foi uma atuh hein! (66'
    Nunca pensei que Yuri conseguisse pedir aquilo pra Léo, mas ele teve coragem... Tô orgulhosa dele, finalmente veio alguma atitude! A questão é, será que adiantou alguma coisa esse pedido? Sei não viu...
    E não foi só com a Léo que ele tomou uma atitude né!? ÔH NINA SORTUDA! kkkkk' Mais um ponto pra ele *-* Finalmente se permitiu ir mais além, e pelo visto está feliz com isso *-* Eu fico mais feliz ainda em ver que ele deu uma chance pra Nina... Já gostei dela desde a primeira vez que ela apareceu, agora então, com toda essa sinceridade...
    E pra melhorar, Ariel também gosta da Nina, basta saber se ela vai aprovar essa relação que parece estar começando... Mas conhecendo a Baixinha, ela vai ficar feliz em ver o pai feliz também... E digo o mesmo sobre a Léo!

    Atuh divina Paulinha *-* Fiquei irritada comigo por ter demorado tanto pra vir comentar, mas feirado é assim mesmo né kkkk'
    Beeeeijos e Feliz Páscoa ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demorou, doeu, mas alguém precisava fazê-lo... Mesmo que eu acredite não ser isso a resolver a questão, a situação estava bem insuportável. Considerando que ela estará de volta definitivamente então... =/
      Nina sortuda mesmo... Eu queria que ele me desse uma chance desta! Haushuahsuahsuahs! Agora se a Léo vai ficar feliz, eu já não posso te responder =X
      Seria o natural, mas... nem sempre as nossas emoções estão de comum acordo com a nossa razão.

      Obrigada, pra vc também (apesar de já estarmos no fim, hehehe)
      Bjks!

      Excluir
  8. Tao bom ver o Yuri feliz... nem que seja so por um instante...
    Quem sabe ele abra os olhos e veja que existe uma vida alem da "Leo"
    Quem sabe a Nina consiga mostrar a ele que ele pode ser feliz...
    Sei que o problema nao terminou agora so pq ele se envolveu com a Nina..
    Mas, pelo menos um passo foi dado...
    Nem preciso dizer que amei a atuh... Mas vou dizer assim mesmo
    AMEI!!! e Yuri, vai com tudo, garotao!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que no fundo ele sabe que essa vida existe. Apenas não consegue vivê-la plenamente. Que a Nina seja isso tudo eu também desejo. Como eles vão fazer pra ficarem juntos é que eu não sei...

      Obrigada, Lu...
      (eu queria mesmo é que ele viesse com tudo pra cima de mim) Huahsuahushauhsa!

      Bjks

      Excluir
  9. Oiii Paulinha... Como foi de Pascoa??
    A minha foi otima.. ganhei um ovo gigante do meu namorado!!! rsrsrs
    É claro que eu li a historia na sexta mais fiquei com preguiça de comentar, então vamos lá:
    Eu amei a atuh... ate que em fim o Yuri desempacou!! isso foi um grande passo.. pelo menos eu espero..
    E como voce ja falou ai pra cima, se for pra eles ficarem juntos, so basta saber como ne?
    A Nina bem que podia voltar de Paris e ficar de boa aqui com o Yuri.. eu achei tão bonitinho eles juntos!!
    E quanto ao que ele falou pra Leo, eu acho que ele fez certo.. Pq eles ficam nesse chove e não molha e nunca tomam a iniciativa de deixar acontecer.. então é melhor que ela se afaste de uma vez!

    PS:Estou com saudade do Pedro!!

    Beijos*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi tudo ótimo também, Bru! Ainda nem consegui abrir meus ovos. E mesmo assim já comi tanto chocolate! XD
      Ah, mas ele mesmo já falou que teve relacionamentos antes... A Ariel inclusive citou a Lis como o mais recente. Só que... Ele não consegue se entregar, quem sabe Nina muda tudo?
      O afastamento às vezes faz com que o amor morra à míngua, é verdade. Mas será que é menos dolorido? '-'
      Ixi, se a Léo vai se afastar o Pedro então... Hehehehe

      Bjks! ;]

      Excluir
  10. Oi Paula! Estou devendo um comentário! As fotos ficaram lindas! Adoro cenas romanticas, li a atu, várias e várias vezes! Ah, como queria estar no lugar da Nina naquele tapete!!! O.o

    Gostosuras à parte, o Yuri deu "a deixa" do que sente: "Eu nunca me sinto completamente envolvido em uma relação. Sempre acho que estou usando a mulher ao meu lado e acabo... pulando fora", ou seja, a Nina está servindo de válvula de escape, pois os pensamentos dele ainda estão voltados para a Leo.

    Tem uma citação que gosto muito que diz assim: "aquilo a que você resiste, persiste", então quanto mais ele negar este sentimento, quanto mais ele não quiser pensar na Leo, mais ele pensará, o efeito é oposto! Ai, ai, Yuri! Estamos sofrendo contigo!

    bjsss *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida! *-* kkkkkkkkkk, toca aqui, <õ/ eu também!
      Pelo menos por enquanto, é o que parece... Torçamos para que os ventos mudem... '-'
      Eu também creio que essa técnica de tentar resistir não está dando certo...

      Bjks!

      Excluir
  11. Conseguiiiiiiiiii! Me atualizei depois de anos luz! hauahuahuaa
    E para minha alegria concluír minha leitura com uma atuh maravilhosa como essa! Ai, Pah! Eu já gosto da Nina! rsrsrs, não é que eu não goste da Léo, mas estou gostando mais da Nina, e torço por eles dois! rsrsrs
    Yuri delicinha de mamãe, babei totalmente! rsrsrsrs
    bjão, queridaaaaaa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. \o/
      Que bom, Mile!!! Hehehehe, acho que é normal gostar mais da Nina neste momento... Ela é uma pessoa super agradável e a presença da Léo tem bagunçado a vida do Yuri, né?
      Carã... Yuri nu... Nem falo nada! haushaushauh!

      Bjks e obrigada, queridona!

      Excluir
  12. Dessa vez deixei pra ser a última \o/
    Yuri e Nina .we. .we. .we. .we.
    Adorei meeeeeeesmo ver os dois juntos s2 Ela tem que ir mesmo? =S
    Dificl mandar no coração, mas o Pedro batalhou tanto pra conseguir a Léo que é triste só de pensar q ele pode perde-la =[

    Só mais um comentário... Yuriiiiiiiiiii .baba. Ah não tem outro... Não viu o Doda pelo jogo não? To com saudades dele =P


    Bjooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que infelizmente ela tem... Em algum momento! XP
      De fato é verdade sobre o Pedro, se você pensar pelo lado do merecimento, apesar de ter seus motivos, o Yuri se portou passivo diante de seus sentimentos...

      Se eu te contar onde anda o Doda, você pára de falar comigo, ahsuahsauhsahs! #melhoreumecalar

      Bjks!

      Excluir
    2. Huahsuahsuahsuahsuashuhsa!

      Excluir

Diga lá...